segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O que eu sinto não tem nome...

nem muito menos sobrenome. Isso talvez nem exista. É felicidade, é dor, é perda , que brigam por um espaço onde a saudade tem a maior porção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...